DOMINÓ MONTE DAS PRATAS BRANCO
   
2012 ALENTEJO

Vitor Claro – DOMINÓ BRANCO 2012 ALENTEJO

Vítor Claro é um dos grandes Chefs portugueses e, sem dúvida, um dos que mais cuidado e atenção dispensa ao vinho. Em 2010, Vítor teve a ousadia de se tornar também produtor de vinho. Por serem vinhos únicos, com um perfil gastronómico ímpar, decidimos apoiá-lo, comercializando estes vinhos de produção muito limitada.

«A região de Portalegre sempre me fascinou, por ser um Alentejo que não parece nada Alentejo. Além de ter provado alguns vinhos da zona que me deixaram encantado, quis o destino que uma amiga tivesse vinhas da família em plena Serra de S. Mamede. Depois de muito procurar, acabei por encontrar duas parcelas tratadas pelo mesmo agricultor, de vinha muito velha (segundo consta, já o seu avô utilizara o termo “velha” para se referir a vinha). A ideia do Dominó é vinificar parcela a parcela para que se consiga imprimir o carácter tão diversificado desta magnífica zona que é Portalegre.» - Vítor Claro

Monte das Pratas é uma pequena vinha de uva branca, a oitocentos metros de altitude, virada a norte-poente, com uma idade média de setenta anos, localizada na aldeia do Reguengo. A ideia subjacente ao Dominó é a de vinificar parcela a parcela para que se consiga imprimir o carácter tão diversificado desta magnífica região que é Portalegre

 

A vindima realizou-se no dia 10 de Setembro. O talhão mais antigo tem três filas com cerca de cinquenta pés de Moscatel Nunes. Ao contrário do ano anterior, este também foi vindimado e faz parte do lote. Da prensagem sem desengaçar resultou um mosto doce, acídulo e herbáceo. Decantou sem auxílio numa cuba, durante vinte e quatro horas. No dia seguinte, repartiu-se entre três barricas de carvalho francês Allier, onde fermentou sem inoculação.

Com uma acidez rasgada, resultante de um Verão mais ameno, a boca mantém-se firmemente seca. O nariz está surpreendentemente floral, dada a mais longa maturação tanto do Fernão Pires, como da nova contribuição do Moscatel.

Acaba por ser uma surpresa, um vinho com um perfil de nariz tão delicado e uma boca tão austera. A prova num copo mais fechado e a temperaturas mais baixas vai evidenciar as notas florais e a prova num copo mais aberto deixará na boca uma maior sensação de frescura e mineralidade.

 

Informação Técnica

Produtor: Vítor Hugo A. Claro

Região: Portalegre

Tipo de Solo: Xisto

Idade das Cepas: Média de 70 anos

Castas: Alicante Branco, Moscatel Nunes, Fernão Pires, Dorinto, Tamarez, Síria, Pérola e outras

Forma de Vindima: Manual

Maloláctica: Não realizada

Fermentação: Sem inoculação, em barrica

Engarrafado: Julho 2013

Estágio: 10 meses em barrica usada

Açúcar Residual (g/dm3): 1.7

Álcool (%): 12

pH: 3.3

Acidez Total (g/dm3): 5.3

Acidez Volátil (g/dm3): 0.51

Produção: 800 garrafas

Sugestão de acompanhamento: Acompanha bem com peixe cozido ao vapor à Portuguesa, com batata e cenoura. Queijos suaves de média cura.

Expira dentro de
-33 dias
Partilhar:  
 
21,25
17,85

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e a experiência do utilizador. Leia mais informações AQUI. Aceitar